domingo, 30 de dezembro de 2012

A Escada






A Escada

Lá no alto da escada,
Um degrau é o que faltava,
Para eu ver o amanhã,
Esperando sua amada.

Debruçada na sacada,
Lá estava a esperada,
Suspirando pelo amor,
Que no ontem se tornou.

Novo tempo que aflora,
Os desejos dessa hora,
Num jardim se transformou...

Um só corpo, uma só alma,
Caminhando pela estrada,
Do novo que começou.

Conceição Gama
30/12/12,

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Procura-se Felicidade






Procura-se Felicidade

Procura-se a felicidade
Nas ruas, no campo, na cidade.
Nas pessoas de qualquer idade,
Carentes de identidade!

Saber-se igual ou diferente,
Nesse estar que se faz carente,
Da almejada igualdade,
Nas pessoas de qualquer idade!

Repetir, repetir e repetir:
Onde está nossa identidade,
Nas ruas no campo ou na cidade?

Ela está na pluralidade, bendita felicidade!
Ela está da singularidade, bendita felicidade!
Ela está no aprender a amar-se ...

Conceição Gama.
26/12/12

Encontra-se a felicidade


Buscava identidades

domingo, 23 de dezembro de 2012

Caminhos






Caminhos

Na esquina da Rua do Ontem
Pessoas passeavam alheias
Não viam os rios, os montes
Presos em suas cadeias

Do efêmero viver cansado
Da esquina carece sair
Procurar um novo caminho
Pra onde se possa ir

O desejo procura a ponte
Tecida nas teias do tempo
Um passo, ali adiante
O sempre a cada momento

Á frente está o  horizonte
O amor, a vida  anseia
Que encontrem a sua fonte
Na morada de sua aldeia.

Conceição Gama.









sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Feliz Natal!




Irmãos em Cristo,
Paz e bem!

Mais um ano  está chegando ao fim...
Vai nascer um Novo Ano, vamos incorporar às nossas vidas a perspectiva de começar a contas mais 365 (trezentos e sessenta e cinco) dias, fazer nossos planejamentos profissionais, pessoais, familiares, enfim... organizar nossas agendas para os futuros compromissos que estarão por vir, não é assim que costumamos fazer?
Estamos sempre tão ligados a questão do tempo cronológico, ao tempo que "temos" para gastar e como gastar!
E por muitas vezes acabamos perdendo "manhãs, tardes , noites, dias, meses, anos " das nossas vidas,  procurando usufruir desse tempo com coisas efêmeras que paraxodalmente a sua rápida estada também se eternizam no cerne de nossas almas!
O Natal do Senhor suscita em nossos corações o desejo de "gastar" nosso tempo em regar as sementes que estamos plantando na diversidade de solos da nossa essência de ser humano.
 As vezes nos deparamos com a aridez de um solo seco, outras com a areia molhada da praia,  outra com um solo fértil banhado pelo rio do bem querer!
Tenhamos a certeza de que para a aridez do solo seco,  existe a água transparente do Amor de Deus armazenada no Regador da cor de Ouro como o Sol, ao alcance das nossas mãos. Segure-o e permita que a água possa tocar nesse solo, com certeza irá ouvir a voz da semente que ali se encontrava gritar de felicidade porque você permitiu que a vida ali fizesse morada pela graça do Amor Maior!
Tenhamos a certeza de quando caminharmos pela areia molhada da praia, as nossas pegadas não serão apagadas pelas ondas, elas também são sementes jogadas na estrada da vida! Estarão lá para nos fazer um afago, um carinho, nos recordando que nossos passos nunca serão ou estarão na solidão, porque Jesus caminha conosco e nos carrega no colo quando carecemos!
Tenhamos a certeza de que quando estivermos no Solo Fértil, banhado pela água do Rio do Bem Querer, esse é o momento a hora oportuna para sentir o frescor e brisa do sopro de Deus em nós! É hora de mergulharmos no rio, renovarmos nossas forças para agradecermos a Deus em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo por termos a convicção de que Jesus nasceu para nos eternizar na Luz!
Percebam a beleza do arco-íris no Céu a nos lembrar das maravilhas das promessas do Senhor!
Percebam a Estrela que nos Guia e nos conduz nas noites e dias das nossas vidas a brilhar no Céu Lindo que Jesus preparou para nós, iluminando nossas noites, aquecendo nossas almas com o abraço acolhedor, terno, afetuoso, assim como a Virgem Santissima abraçou Nosso Senhor na noite de seu Natal!
Que neste Natal nós tenhamos a graça de sermos desejosos do Amor de Deus, da presença do Espírito Santo para louvarmos e bendizermos quão grande é nosso Senhor Jesus Cristo!

Feliz Natal e um Ano Novo repleto das graças de Deus, sempre!

Abraço afetuoso a todos!
Conceição Gama.    

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Apanhador de Sonhos







Apanhador de Sonhos




Nesse tempo que se vai,

Nesse tempo que se chega,

É aqui neste lugar,

Que o sonho se aconchega...



Toca a pele, toca a alma

Faz o coração bater!

Nesse ritmo inusitado,

Do desejo, do querer.



Sou apanhador de Sonhos

Sou cofre que é dourado.

Onde estão os teus segredos

Nesse tempo encantado...



Segue, olha o horizonte.

O arco Iris te espera...

Na mixagem de suas cores

O amor sempre revela.



Conceição Gama.

11/12/2012.

Homenagem a Alice Gama.



quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Meu Querer

Meu Querer


Não quero uma vida corrida, varrida com a vassoura do tempo que não vivi...
Quero andar de pés descalços,sentir a poeira envolvendo meus pés quando passear pela areia do solo seco e árido de minh'alma... Assim, posso tocar nos espinhos que se fincaram em minha carne, e a dor sinalizando que devo parar e sentar-me a beira do caminho, sob a sombra de uma árvore aparentemente seca, tipo essas do nosso sertão nordestino,  mas que continua firme e forte ficanda nesse solo, sustentada por uma "raiz" tão profunda que ao ser tocada pelas lágrimas de umas gotas de chuva, renasce e florece!
Quero me permitir o prazer de caminhar sobre a areia molhada de uma praia, deixando que a água morna, aqueça meu coração e relaxe meu corpo por inteiro, proporcionando-me o prazer de trancender esse contato fisico e abrir meu ser, permitindo que o sal faça o que lhe pertinente: Fazer-se sabor nas andanças de minha vida mergulhada entre outras vidas e na minha própria.
Quero sentir o gosto  do suor escorrendo sobre a minha face, me fazendo recordar as conquistas e a força motriz que me faz chegar lá onde eu desejo.
Quando eu sentir o frio arrepiando minha pele, recordarei do prazer de sentir o calor que provém de  uma Luz que aquece o meu querer...
E assim, entrego o que quero no querer de alguém que conhece o revés de todo o meu ser humano...


 Conceição Gama

sábado, 24 de novembro de 2012

O Tudo ou o Nada.






O Tudo ou o Nada.

Olhava o campo florido
E o perfume anunciava
O que por vir estava
O retorno ao definitivo

Revivendo o acontecido
A terna lembrança ficava
O tudo sempre esperava
Porém sentia-se sofrido

Buscava encontrar sentido
Nas transparentes palavras
Que da boca não saiam
Mas das janelas da alma

Procura-se um novo vestido
Para cobrir uma lágrima
Em um momento tranquilo
Que o tudo parece nada
 
O que será decisivo,
Para mergulhar no tudo?
Um grito, um silêncio agudo?
Ao tudo que aqui ficara...
   
O efêmero muito deixou
Na mais profunda raíz
Revés do que é perene
Aquilo que não se diz...
 

Conceição Gama.


quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Segredo Sagrado






Segredo Sagrado


Há segredos não revelados
Pensamos ser eles secretos,
Guardados do cerne da alma
Carentes de receber afeto.

Vai um dia, uma noite, um tempo,
De uma vida que não se fez.
De pessoas que ali passaram
Deixando sua aridez.

Segredos também são reflexos
De sonhos, vivência e planos
Carcereiros da própria existência,
Esquecem que são humanos.

Há segredos que são Sagrados,
Desconhecidos de seu carcereiro.
Tão grandiosa verdade,
Precisam encontra-se primeiro.

Há segredo a ser partilhado,
Pode-se até sentir o seu cheiro.
De confiança, esperança que alcança,
No olhar de um companheiro. 

São as janelas da alma,
As chaves de alguns segredos.
Que só se revelam inteiro,
Na cumplicidade da calma.

E os segredos Secretos?
São desvendados os poucos...
Uma gota a cada dia,
Para saborear o gosto...

De descobrir-se humano
Habitação do Divino
Onde não há segredos
Para o Sagrado destino.

Conceição Gama.
14/11/12.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Canteiro de Solidão







Canteiro de Solidão

Na solidão desse canteiro
Me descobri semente
Perene em seu revelar
De espécies não catalogadas
E por diversidade marcada

 
Sou semente carente em ser
O doce do fruto amargo
Que me faz morrer e nascer
Que me faz sonhar e esperar
No canteiro que se faz sagrado


O solo fértil que me acolhe
É certeza  de que não sou só
Mas careço de solidão
Para compreender melhor
O transcendente que me envolve

Na condição de ser transformada
Entrego a semente sagrada
Nas mãos do jardineiro da vida
Da lágrima salgada que corre
Permitindo sabor à vida.

Conceição Gama.

 






segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Pedaço de Mim







Pedaço de Mim


Já não posso começar
Porque tudo ja se foi
E ontem já não existe mais...

Mas ainda posso crer
Que o amanhã renascerá
E que todo o passado se fará...

Nos abraços que te dou
Na alegria ou na dor
O que é bom ficou e permanecerá...

Eu te amo, e vou te amar
Esse amor não morrerá
Porque Deus está sempre em nós!

Aprendi, pedaço eu sou
Pois tú és parte de mim
Esse amor no eterno já ficou...

Conceição Gama.

sábado, 20 de outubro de 2012

Rosa Fugaz







Rosa Fugaz

A rosa sedenta, acalenta
O seu coração o seu passo
Agora já descompasso
Do tempo que lhe espera

Das suas folhas amarelhas
O verde se despediu
Curvada a rosa espera
As cores que se partiu

Fragmentos, pigmentos e cheiros
De perfume que unge e renova
O solo que não conhece
Recebe sementes da rosa

No jardim sem fim nem começo
Passeia o desejar de uma rosa
Sentar-se àquele canteiro
Sem dia, sem tempo, sem hora...

Conceição Gama.


 

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Cântico do Silêncio


Cântico do Silêncio


No silêncio ouço o cantar
Suave, adentrando  no ser
Portando em suas mãos
Seu instrumento,sua emoção

Envolve a alma o calar
Bailando ao som do querer
Flutua a leveza do ser
Silêncio para ser entregar

Maestrina a Luz se faz
Conduzindo a orquestra
Do silêncio e da paz
Sedenta do meu querer...

Conceição Gama.



segunda-feira, 24 de setembro de 2012

A CHAVE DO SILÊNCIO



A CHAVE DO SILÊNCIO
O COFRE DOURADO PORTA O SIGILO
O SOLENE, O SEGREDO, O SILÊNCIO
SUA PORTA, SEU ACESSO, SUA CHAVE
PERDEU-SE NUM TEMPO ANTIGO

NO PORÃO DE UMA CASA BONITA
NAQUELE BAÚ COR DE VENTO
DEVANEIO DA TRANSPARÊNCIA
FECHOU-SE NO ESCURO DO DIA

CARREGOU AS TERNAS LEMBRANÇAS
NA CAIXA AZUL DE FITA BRANCA
GUARDADA NO LADO ESQUERDO
ESTE QUE POUCOS ALCANÇA

O CORPO SE DOBRA NUM ABRAÇO
DESEJA O ENCONTRO DO LAÇO
DEIXADO NO CHÃO DO PORÃO
DA VIDA QUE FOI E QUE VAI

SILÊNCIO FAZ SORRIR E CHORAR
DEIXA MARCA INDÉLEVEL
DO FUGAZ, DO AGORA, DO ETERNO
A CHAVE? AINDA ESPERO...

CONCEIÇÃO GAMA.


terça-feira, 18 de setembro de 2012

Mudanças






Mudanças


Desvestir da roupa surrada, suada
Aquela alma pedia, implorava!
Desejo de ser tocada pela água
Lavada, restauração aflorava!

Tão leve, sentia-se amada
Nova veste, novo rumo
Percorrendo a estrada
Tão sua, agora encontrava
 
Renascer carece decisão
Arrancar o que fixo  está.
No corpo, na alma, nesse chão
O querer é senhor da previsão.

Visão do ontem não mais
O passado ficou para atrás
Hoje a verdade se faz
Do ser, do querer, do capaz!



Tempo de querer conquistar
O sofrer, o sorrir, o cantar
Tempo de amar, de sonhar
E passa, e retorna o querer...



sábado, 8 de setembro de 2012

Natividade de Nossa Senhora




Quanta alegria ó Maria,
Sacrário vivo de Deus! 
No ventre de Sant'Ana
A Flor Celeste Nasceu!

Desabrochou o jardim
De todos o mais belo!
O coração de Maria,
É terno, doce, singelo!

Hoje é dia de festa,
Da tua natividade!
Minha Senhora Amada,
Exemplo de santidade!

Recebe o meu abraço,
Meu carinho e amor
Nas contas do teu Rosário
Te consagro o que sou

A Deus Glória e louvor,
Por Jesus Nosso Senhor!
Presente no meio de nós
A Mãe do meu Salvador!
 



sexta-feira, 7 de setembro de 2012

O que será?



O que será?


O que será que motiva o ser humano a buscar nas drogas a razão de sua existência?
 Não faço referência  apenas às  drogas químicas, mas também aquelas que estão fincadas em nossas almas que entorpecem nossos sentimentos, confundem os valores do bem e do mal, do ruim e do bom, que sequestra o nosso desejo de vida. 
Que substância é essa que fragmenta o ser humano em sua singularidade,  de tal maneira,  que não se consegue resgatar o seu inteiro sentido de ser e existir?
Será  que o  imediatalismo tonou-se nosso fiel companheiro e  guia ?
A toda hora ouvimos alguém falar: " Como o ano passou depressa! " ou " as horas voam! " 
Será que carecemos realmente de viver em constante estado de alerta, com os sonoros apelos de que o tempo passa rápido e que precisamos absorver todaas as informações possíveis, para nos sentirmos felizes?
Será que a ruidosa expressão " Cada um por si e Deus por todos, é o caminho que devemos seguir?"
Que bom saber que Deus é por todos!
Será que temos consciência do que é estar à margem da sociedade e de que sociedade?
 E quem são os excluídos? 
Será que somos parte dessa massa gigantesca?
Ou simplesmente optamos por não desejar enxergar o que está a um palmo do nosso nariz? Ou será que o foco é "aceitar"   que vidas iguais a nossa, se submetam a rumos tão diferentes, desprezíveis, onde a miséria material e ausência de amor prevalecem em nome do poder e das moedas mais valorizadas no mercado financeiro? Já que  "as coisas são como são?"
Será que ter  uma família e ser parte integrante dela faz diferença no meu pensar, no meu agir?
Será que família é apenas uma composição figurada pela presença  de um pai, mãe e filho que quase nunca se encontram, pois a pressa de ser melhor do que os outros os levam a gastar seu tempos com suas atividades pessoais e suas questões existênciais próprias?
O que será das pessoas que passam umas pelas outras nos condomínios residênciais ou nas "favelas" da vida,  nas ruas, e até no espaço minimo dos elevadores e não se cumprimetam porque tem receio de criar um vínculo de  amizade e por consequência de responsabilidade pelo que cativaram?
Será que ainda existe espaço nesse vazio que nos coloca a beira do "buraco negro"?
Será que ser "humano", é se tornar cada dia mais distante e indiferente do seu próximo? 
Ou será que o amor anda adormecido nos corações dos que fazem as grandes potências econômicas, sociais, políticas?
Será que já é tarde demais para regastar o bem, o bom?
É certo que não é tarde! É certo que ainda há tempo!
Uma força maior nos impulsiona a desejar ser amado e amar... 
Mesmo em meio a guerra dos  questionamentos, das razões seculares, carecemos de revelar o valor, a força motriz que move o verdadeiro sentido de aqui estar.
Não somos passageiros de um destino limitado ao tempo fugaz cronometrado pela ganância e desiguldade social!
Somos cidadãos do infinito.